Notícias & Eventos

A prevenção da perda na mira dos retalhistas

February 3, 2017

Os retalhistas mundiais chegam ao final do ano e procuram novos objectivos para 2017. A prevenção da perda é uma das principais problemáticas nesta viragem anual.

Portugal é, de acordo com o último Barómetro Mundial do Furto no Retalho, um dos seis países com menor incidência de perdas, mas essa circunstância não leva os retalhistas nacionais a baixar os braços na hora de prevenção, muito pelo contrário, motiva-os a delimitar mais e melhores estratégias de combate ao furto.

De entre as principais razões para a perda desconhecida destacam-se o furto externo e o furto por parte dos colaboradores. De facto, o furto externo representa mais de metade da perda total, e as perdas provocadas pelos funcionários atingem quase 30%.

Neste sentido, os retalhistas portugueses enfrentam os mesmos desafios que os seus congéneres de outros países: como fazer frente a este tipo de perda? De um modo geral, a instalação de soluções de prevenção de perda, de visibilidade de mercadoria e de gestão de stock são fundamentais para o trabalho diário, mas é ainda mais importante a formação correcta das equipas.

Com equipas formadas e informadas, os retalhistas conseguem, não só promover uma experiência de compra excelente, mas também sensibilizar para as tácticas do furto – nomeadamente as que dizem respeito aos grupos organizados –, as estratégias de prevenção do mesmo e, até, a informação que as soluções instaladas geram e que podem, em determinadas situações, dissuadir os funcionários de furtos futuros.

A complementaridade que as soluções presentes no mercado oferecem aos retalhistas conseguem não só prevenir a perda, como recolher informação e gerir mercadorias, mas também auxiliar na gestão das pessoas.